METAS E DESAFIOS

Coração das Metas – o caso DILL.

 

Ao receber a newsletter semanal de “O GERENTE” fui atraído pelo título deste artigo. A palavra Coração das Metas é mesmo muito forte.

Ao longo da minha carreira sempre me vi motivado e empurrado por metas simples, complexas e até mesmo as muito desafiadoras. Recordo de um passado distante, onde meu professor de português disse-me, “Getulio, vença sua timidez e introspecção lançando metas e desafiando a sua própria natureza”. Fazia parte de um tentativa de libertação psicológica da timidez que me perseguia implacavelmente. Depois deste ensinamento do velho professor passei a desafiar o meu próprio mundo com metas e mais metas. Para aquele jovem estudante advindo de uma família humilde e de parcos recursos o meu objetivo de estudar engenharia em universidade particular já foi um baita desafio devidamente cumprido.

 

O filme Power of Vision, ou “A visão do futuro” – Siamar, de Joel Baker, propicia uma aula de metas e desafios. O autor mostra através de obras de autores renomados a importância do estabelecimento de metas e ao mesmo tempo da ação para transformar sonhos em realidades. Como ele próprio demonstra em seu filme: “sonhos (metas, desafios) com ação podem mudar o mundo”.

 

Veja o que diz o consultor DILL sobre as METAS: “As vezes me deparo com um dilema: será que minha carreira está rendendo tudo o que eu gostaria ou acho que deveria render?

Confesso que isso me consome alguma energia e, de repente, as coisas começam a fluir. Positivamente, é claro! Percebi que as coisas fluem positivamente para mim por alguns aspectos relevantes: 

  • após a "energia consumida", concentro-me no meu trabalho, sem cultivar anseios e medos, e tudo passa a andar melhor! Isso me remete à teoria de que sucesso é 90% transpiração e 10% inspiração...
  • acredite ou não na lei da atração, sou prova de que o universo conspira a nosso favor mesmo. Quando cultivo a relevância de minha missão, celebro a importância do que faço, colho resultados surpreendentes! Tente isso também em sua atividade!
  • tenho meus passos escritos e minhas metas claras, bem definidas e, acima de tudo, atingíveis! Sim, as metas não podem representar sofrimento, impaciência, desespero de atingimento e angustia...

Metas devem ser desafiadoras, intrigantes, inspiradoras, relevantes, dignas de despertarem em um cidadão ou grupo de pessoas a determinação em buscá-las com gana de vencedor!

Metas podem trazer dor sim, mas dentro do tolerável, da curtição, do prazer (“a dor no fundo esconde uma pontinha de prazer”, já dizia Cazuza).  Podem flertar com o limite do impossível, sem jamais avançar sobre tal terreno. Se esse terreno (da impossibilidade) for visitado, cultivado e alimentado, esqueça-se de tudo e comece do zero...É hora de rever a relevância da mesma!”

Neste momento o que fica é que algumas atitudes devemos tomar. Uma delas é reconhecer que precisamos providenciar alguma tempo para dedicarmos a questão do PENSAR METAS e em seguida dedicarmos a IMPLANTAÇÃO, tão importante quanto ao planejar.



Escrito por Getulio A Ferreira às 11h51
[] [envie esta mensagem] []



OUTRA REUNIÃO?

 

Um dos instrumentos gerenciais mais antigos, a reunião tem sido massacrada pela incompetência dos seus coordenadores. Tinha um grande amigo que dizia: quando o salário dos participantes, representado pelo homem-hora dos mesmos, multiplicado pelo numero de participantes for maior que os resultados pretendidos na mesma, é melhor não fazer a reunião, vai dar prejuízo para a organização.

 

Reuniões sem agenda ou pauta, sem objetivos concretos ou com objetivos difusos são na verdade um tormento aos participantes e um elogio ao fracasso. Mas não fica por aí, os problemas já começam na convocação: a pauta não foi entregue com antecedência, os participantes foram convocados em cima da hora, os titulares mandaram substitutos, o material de apoio não ficou pronto... Desastre no sistema gerencial.  

Para completar, depois de 40 minutos de atraso a reunião finalmente começou. O atraso deveu-se a problemas de “transito engarrafado” do grande chefe. Ele chegou já estressado e com mau humor para completar a cena. Começa a reunião. Cadê a agenda? Não precisa, diz o grande chefe. A reunião que deveria durar 60 a 90 minutos no máximo atravessa o horário de almoço e termina por enfraquecimento dos “soldados” presentes, embora muitos outros tenham desertado na caminhada do banheiro. Neste meio tempo não se viu as necessárias anotações de providencias, responsabilidades, prioridades e prazos para as tomadas de decisões.

 

Você já participou de alguma reunião de condomínio. É algo parecido não é mesmo? Esta questão que estamos tratando hoje, a REUNIÃO EFICAZ, é objeto de vários livros, pois apesar de ser tão maltratada é um dos principais instrumentos de gestão organizacional, lógico, desde que seja bem trabalhada e organizada.

 

Como são as reuniões em sua empresa?



Escrito por Getulio A Ferreira às 10h03
[] [envie esta mensagem] []



GESTÃO DO TEMPO

TEMPO É DINHEIRO???

Regras práticas para a gestão do recurso mais precioso (e não renvável) da sua vida profissional e pessoal.

fonte: Ernesto Artur Berg

Vamos lá:

1. Estabeleça os objetivos com clareza.Tenha estabelecido bem claro para você o que pretende atingir de mais importante em dois ou três meses ou nas próximas semanas. Anote essas metas com destaque numa folha de papel e deixe-as sempre bem à vista. Isso fará com que não esqueça de suas metas. Lembre-se: barco sem rumo não chega a porto algum.

2. Faça uma lista diária e priorize as atividades. Relacione diariamente, numa folha de papel ou em sua agenda (pode ser notebook, também), todas as atividades a serem cumpridas nesse dia e estabeleça prioridades começando sempre pelas mais importantes.

3. Delegue.Passe a bola aos seus subordinados, começando pelas rotinas e procedimentos operacionais.Depois, se puder, delegue também atividades e trabalhos de maior responsabilidade, desde que a pessoa esteja apta para assumir a tarefa.

4. Saiba tomar decisões.Não existe carteirinha de chefe que o salve de tomar, algumas vezes, decisões erradas. Uma decisão errada é, quase sempre, melhor do que não tomar nenhuma decisão. Mas abusar do erro é pior do que não tomar nenhuma decisão.

5. Saiba dizer NÃO.Não recusar nenhum serviço, por menos volumoso que seja, quando você já está atolado de trabalho até a ponta do nariz, não lhe trará nenhum reconhecimento de outros. Trabalhar muito é uma coisa,mas ser soterrado pelo trabalho é outra bem diferente.

6. Seja breve ao telefone.Ligações telefônicas constantes atrapalham e atrasam o trabalho. Depois das rápidas gentilezas iniciais vá direto ao assunto, seja breve e objetivo, sem entretanto perder a simpatia. Concluído o diálogo, agradeça e encerre o contato.

7. Faça reuniões produtivas.Nada mais fácil do que dinamitar uma reunião. É só introduzir assuntos não agendados, discutir o sexo dos anjos, abordar assuntos irrelevantes e deixar que dois ou três galos de briga monopolizem a reunião e fiquem discutindo entre si. Reuniões eficazes exigem um coordenador (para disciplinar a discussão e também marcar o tempo), assuntos previamente agendados do conhecimento de todos, participação e envolvimento dos participantes e, ao final,cópia para todos das decisões tomadas na reunião, com os compromissos assumidos por cada um (quem são os responsáveis pelas tarefas ou projetos) e as datas de realização.Entre no site www.quebrandobarreiras.com.br e faça o download gratuito do livro “Como Se Tornar Um Líder”, de Cristian H. Godfroy. Você encontrará ali um teste de liderança e muitas “dicas” sobre o assunto.

8. Evite o perfeccionismo.“O perfeito é inimigo do ótimo”, diz o ditado. A perfeição é desejável, mas raramente necessaria. Isso parece estar acima do nível de compreensão do perfeccionista, o qual acha que tudo – de um simples bocejo à mais avançada astronave – deve ser impecável. Cuidado!

9. Saiba como usar sua energia trabalhando a seu favor. Todos temos um “relógio biológico” que regula nosso fluxo de energia no decorrer das 24 horas do dia. Pesquisas científicas comprovaram que nossa capacidade de raciocínio, criatividade e tônus muscular atingem seu auge entre oito e onze horas da manhã. Esse ritmo diminui quase pela metade no período da tarde e à noite não chega a 20%. Nada melhor então do que remar a favor da maré. Pela manhã, sempre que possível, execute atividades nobres, que exijam clareza de raciocínio, dedique-se a um projeto importante, faça reuniões produtivas (e rápidas), estabeleça contatos essenciais etc.À tarde, de preferência, dedique-se mais a rotinas e trabalhos corriqueiros.

10. Organize-se. Os sintomas da desorganização são: deixar tarefas inacabadas, fazer várias coisas ao mesmo tempo, incapacidade de concentração, adiamentos constantes, não programar suas atividades.

11.Saiba o que fazer com os papéis (vale também para e-mails).Se você coleciona papéis em cima da mesa ou entope as gavetas com eles e sente-se incomodado com isso, tome providencias imediatas para não morrer sufocado pela desorganização.

12. Pratique a relação 80/20. Essa relação vale também para a administração: 80% que de importante você produz num dia vem de 20% de suas atividades; enquanto que 20% da produção de um dia vem de 80% de outros trabalhos. Descubra quais os 20% do seu trabalho diário (isto é, o que é realmente essencial em seu trabalho) que lhe dão 80% de produtividade.

Enfim, gerenciar o tempo é também gerenciar a sua vida, ou seja, quanto mais tempo você perde com as inutilidades e a incompetência, mais vida você estará perdendo. Aproveite a sua vida.

 



Escrito por Getulio A Ferreira às 10h12
[] [envie esta mensagem] []



Sistemas de gestão da qualidade

 

Afirmar o quanto o mercado é competitivo é utilizar-se de clichês para dizer o óbvio. Qualquer empresário que preze por seu negócio sabe que é preciso buscar diferenciais para tornar seu produto ou serviço mais atraente e valoroso do que o oferecido pela concorrência. Para isso, no entanto, não basta apenas perseverança, vontade de trabalhar e muita dedicação. O próprio mercado já está saturado de gente a fim de fazer, mas que não consegue.

Nesse contexto de competitividade e muitas vezes inoperância, as empresas precisam expandir seus horizontes e buscar alternativas que saiam da obviedade. Ou seja, deixar, em algumas oportunidades, que outros ajudem a fazer seu trabalho evoluir e prosperar. Buscar sistemas de gestão da qualidade é uma ótima alternativa.

Dentro desse universo, a certificação ISO tornou-se uma exigência comum tanto para as empresas estatais como para as privadas na hora de escolher seus futuros parceiros, independente do tamanho. Além de garantir maior credibilidade, esse tipo de certificação também aumenta a produtividade devido aos inúmeros benefícios que agrega.

Mesmo assim, a quantidade de companhias certificadas no país ainda está aquém de seu potencial. Para se ter uma ideia, no Brasil, o número de empresas certificadas com a ISO 9000, referente ao sistema de qualidade, não ultrapassa a barreira de 10 mil. Em situação bastante diferente, a China conta com mais de 162 mil cadastros. Os dados são do Inmetro.

Uma das principais vantagens na obtenção de um certificado como o dado pela ISO é a maior facilidade para participar de licitações públicas. Hoje em dia, a certificação costuma ser uma exigência em estatais e grandes empresas na hora de fechar contratos.

No caso das micro e pequenas empresas, um sistema de gestão da qualidade ainda é visto por muitas como um gasto e não como um investimento. Isso ocorre devido aos valores do processo para obtenção do selo, que varia de R$ 30 a 100 mil, dependendo do tamanho e complexidade do negócio.

Mas essa é uma mudança de pensamento fundamental no empresariado brasileiro. Saber diferenciar investimentos de gastos. Felizmente, aos poucos o panorama nacional tem melhorado consideravelmente. Basta verificar os números de uma década atrás para fazer essa constatação.

O Brasil está evoluindo e, junto com essa evolução econômica, é preciso ter um avanço de mentalidade dos nossos empresários. Para todos crescermos juntos, é preciso pensar grande.

 

Igor Furniel é diretor-executivo da Templum

 

fonte:   www.banasqualidade.com.br



Escrito por Getulio A Ferreira às 16h25
[] [envie esta mensagem] []



Como evoluir em sua carreira

   Você é aquela pessoa que percebe a sua carreira como responsabilidade exclusiva da empresa? Acredita que sua ascensão é uma questão de sorte, ou seja, estar no lugar certo na hora certa? Ou assume a responsabilidade pelo seu plano de carreira, prepara-se, tem consciência que pode fazer escolhas e investir por conta própria no seu desenvolvimento?

   No passado, a carreira de uma pessoa tinha como característica "vida na empresa", quanto mais tempo você trabalhava na mesma empresa, mais você era remunerado e, normalmente, as possibilidades de ascensão eram verticais. Sendo assim, as empresas eram responsáveis pela carreira dos seus empregados.

Na década de 80, a descrição de cargos vira moda nas grandes empresas com o objetivo de promover planos de carreira aos seus colaboradores. Mas, como nem todos desejavam e tinham aptidão para assumir um cargo de chefia, surge a carreira em Y que dá opção de seguir dois caminhos diferentes, ser promovido para um cargo de chefia ou tornar-se um especialista.

   Com a globalização, o advento das novas tecnologias e as mudanças incessantes e constantes que vêm afetando o ambiente empresarial desde a década de 90, surge a necessidade de adaptação a tais fatores por parte das empresas e dos profissionais. Diante disso, o lema vira "empregabilidade", palavra que vem do inglês Employability e significa o conjunto de conhecimentos, habilidades e comportamentos que tornam um profissional preparado e importante não apenas para a empresa em que atua, mas para qualquer companhia que tenha a necessidade de contratá-lo.

   Atualmente, quem compete no mercado de trabalho investe mais por conta própria na formação, negocia seu talento com mais desenvoltura e assume total responsabilidade pela pelo seu plano de carreira independentemente da empresa em que trabalha. Esta é a aplicação, na prática, do conceito de carreira sem fronteiras, descrito há alguns anos pelo professor britânico Michael Arthur.

Invista no autoconhecimento

   A parte mais importante, desafiante e constante no desenvolvimento profissional é, sem dúvida, conhecer a si mesmo, reconhecer os seus valores e ter clareza dos seus talentos. Caso contrário, pode cair em armadilhas quando se executa um trabalho que demanda pouco dos pontos fortes e muito dos pontos fracos, perder o foco e ter uma visão limitada das possibilidades que surgem devido a uma insegurança de quem não se reconhece.

Explore todas as oportunidades

   Boa parte das pessoas, ainda, limita-se a orientar as suas carreiras apenas considerando o organograma e plano de cargos e salários da empresa em que atua. Procure explorar oportunidades dentro e fora da empresa, em busca de tendências e de opções alinhadas com seus objetivos.

   Seja estrategista e crie objetivos que dependam de você

   É imprescindível ter metas definidas com prazos para serem alcançadas. Porém, tome cuidado ao definir que em 3 anos você tem como objetivo alcançar o cargo X, pois esse é um referencial externo que depende de terceiros e você corre o risco de se frustrar. Sugiro que tenha como objetivo principal algo que dependa única e exclusivamente de você. Responda a pergunta: "Como posso estar mais realizado profissionalmente daqui a 2, 5 ou 10 anos?". Em seguida, trace objetivos secundários que, neste caso, podem estar relacionados a assumir a liderança da equipe y na empresa A.

   Foque na ação para alcançar a realização.

   Os objetivos definidos serão possivelmente alcançados quando você traçar um plano de ação consistente. Crie mini metas para serem alcançadas e especifique quais serão os indicadores de sucesso. Para isso, responda a pergunta: Como saberei que estou alcançando meus objetivos na carreira?

Monitore, comemore e mude se for preciso.

   Revise, constantemente, o seu plano de carreira verificando se os indicadores de sucesso estão sendo alcançados e, em caso positivo, comemore. Esteja aberto aos resultados e se for preciso mude.

 

Carlos Cruz atua como coach executivo e de equipes, conferencista em desenvolvimento humano e é diretor da UP Treinamentos & Consultoria

 

Fonte: www.banasqualidade.com.br



Escrito por Getulio A Ferreira às 16h49
[] [envie esta mensagem] []



SERVIÇOS

QUALIDADE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS - focando as oportunidades de melhorias

Quando se fala em serviços públicos, governo, município etc. a primeira coisa que devemos lembrar é que uma prefeitura, por exemplo, não tem como meta produzir nenhum tipo de produto físico ou bem durável, embora seja intermediária para a produção dos mesmos, portanto, ela é praticamente 100% serviços.

Então, por conseguinte a QUALIDADE da prestação de serviços está fundamentada nas PESSOAS, que por sua vez:

1.       Irão definir a QUALIDADE DA ORGANIZAÇÃO

2.       Irão determinar e gerar a QUALIDADE NOS PROCESSOS internos

3.       E... conseqüentemente, a QUALIDADE DOS SERVIÇOS.

Esta é a lógica. Pessoas capacitadas e bem treinadas produzindo SERVIÇOS DE ALTO NÍVEL, ou seja, com Qualidade.

COMO FAZER ACONTECER A QUALIDADE EM SERVIÇOS?

1.       Faça uma análise interna do Clima da organização, ou seja, procure sentir como os funcionários enxergam a organização

2.       Faça o mesmo em relação aos usuários dos serviços ou clientes, pacientes, alunos e também no relacionamento externo com fornecedores e até mesmo em relação aos concorrentes ou serviços similares. Esta análise permite uma boa visão de diagnóstico de ambiente interno e externo para o estabelecimento de ações corretivas e também no lançamento de diretrizes estratégicas.

3.       Priorize os pontos críticos que devem ser melhorados na estrutura organizacional, processos, sistemas e produção dos serviços.

4.       Determine estratégias a partir de um amplo programa de mudanças e melhorias continuas.

5.       Investir na Reeducação interna – invista no mínimo 2% das receitas em desenvolvimento humano. Trabalhe com metas superiores a 60 horas de treinamento por pessoa por ano. Lembre-se: a Qualidade dos Serviços é a Qualidade das Pessoas.

6.       Divulgue os resultados, reconheça o bom desempenho e comemore os resultados periodicamente.

DIFICULDADES A SEREM VENCIDAS

A-     PERECIBILIDADE – Não é possível fazer-se um “estoque de serviços”, não dá para colocar os serviços em uma prateleira, e além do mais, é muito sazonal, existindo a questão de picos de serviços e imprevisibilidades.

B-      SIMULTANEIDADE – A qualidade dos serviços é avaliada no instante que o mesmo está sendo executado. Novamente a questão de que tudo está ligado a QUALIDADE DAS PESSOAS que é transferida para o serviço prestado.

C-      HETEROGENIDADE – Há uma diferença de percepção por parte dos clientes que recebem os serviços prestados.

D-     VELOCIDADE DIGITAL – acostumados com o nível de resposta e qualidade dos atendimentos via internet, os clientes não estão mais tolerando atrasos e erros comuns dos atendimentos presenciais.

Veja o quadro a seguir:



Escrito por Getulio A Ferreira às 00h26
[] [envie esta mensagem] []



INIBIDORES OU ESTIMULADORES DE RESULTADOS

O LIVRO "COMO LIBERAR SUA PRODUTIVIDADE - 50 PODEROSAS TÉCNICAS DE PRODUTIVIDADE" do Dr. Richard Ott é, apesar da idade, uma recomendação básica para quem busca melhores resultados ou seja, sucesso naquilo que empreende. Ao partir do princípio de que a produtividade é uma característica inata - e não uma habilidade adquirida - o autor propõe o cultivo dessa capacidade. Apresenta exercícios para lidar com as barreiras que nos tornam menos produtivos no dia-a-dia.

Em resumo, cita os fatores estimuladores e os bloqueadores à produtividade dos seres humanos em sua busca de melhores resultados nas organizações. Entre os FATORES BLOQUEADORES está a PREOCUPAÇÃO, a perda progressiva da ENERGIA E MOTIVAÇÃO, as EMOÇÕES NEGATIVAS (o ciúme, inveja...), o não COMPROMETIMENTO ou fuga da AÇÃO, e por fim a doença do QUANDO e do SE...

Já que existem os bloqueadores, existem também os FATORES ESTIMULADORES que dão norte, sentido e vitalidade aos que buscam a produtividade. São eles: a PACIÊNCIA E TRANQUILIDADE, a ATENÇÃO ALTAMENTE CONCENTRADA, o equilibrio entre a VISÃO GLOBAL e a VISÃO LOCALIZADA, A VISÃO DE FUTURO, e por fim o PENSAMENTO CRIATIVO E INOVADOR.

Evidentemente a área de maior preocupação é com os FATORES BLOQUEADORES, pois os mesmos quase sempre vem de fora para dentro da organização. Se a organização envolve o sistema político, serviço público, etc... esta chance é dobrada, pois existem fatores culturais de disputa de poder que podem influenciar tais resultados de forma ainda mais negativa.

Gerenciar um processo com sucesso significa portanto minimizar os bloqueadores e maximizar os estimuladores, e isto é tarefa para algo maior que ser chefe, é tarefa para verdadeiros LÍDERES. E quanto a vaidade, ciúme e inveja, nem Cristo conseguiu se livrar, portanto é bom rezar também.

 

 



Escrito por Getulio A Ferreira às 19h15
[] [envie esta mensagem] []



ENCENANDO A VIDA REAL

Saiu na revista Época NEGÓCIOS (Shakespeare de Gravata): “Executivos recorrem a cursos de teatro para melhorar a desenvoltura no ambiente de trabalho, aprender a lidar com situações inesperadas e adquirir o dom da oratória.”

Durante o processo de implantação da GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL na  Cia Siderúrgica de Tubarão – Vitória ES, hoje Arcelor Mittal,  já havia uma preocupação em preparar os nossos gerentes em cursos de oratória com base em metodologia da Belgo Mineira Sistemas e também com base na linha de produtos da 3M no que diz respeito às apresentações de trabalhos e projetos. Os resultados do curso em adição aos de Desenvolvimento Gerencial foram fundamentais para a consolidação do programa de Qualidade da empresa.

Segundo a reportagem da ÉPOCA NEGÓCIOS em questão, o nome do curso é cultura de performance. É praticado por executivos de diferentes níveis hierárquicos de uma empresa, que se reúnem em uma sala onde a única mobília são pufes coloridos. Auxiliados por um professor formado em artes cênicas, eles fazem exercícios de relaxamento, concentram-se profundamente e simulam situações cotidianas do universo corporativo. Aos poucos, com o decorrer das aulas, aprendem a controlar a ansiedade, a corrigir problemas de comunicação, a superar momentos de conflito. Aprendem, enfim, a interpretar da melhor forma possível o papel que lhes cabe no cenário empresarial.

OS CURSOS

Qualquer semelhança com aulas de teatro não é mera coincidência. “A diferença é que não fazemos apresentações e não usamos maquiagem ou figurino”, diz Leonardo Calixto, ator e sócio-fundador da escola de teatro E.I.T. Na lista de clientes de Calixto figuram CEOs e diretores de empresas do porte de Petrobras, Avaya, Ford, Santander e Siemens. Os cursos duram, em média, três meses e os preços variam de R$ 1,5 mil a R$ 5 mil.

RESULTADOS OBJETIVADOS

Desbloqueio Criativo, direcionado para a oratória.

Controlar as emoções para sair-se bem nos projetos e atividades

Exercícios de respiração e concentração para lidar com os desafios.

Veja figura a seguir:



Escrito por Getulio A Ferreira às 18h23
[] [envie esta mensagem] []



MODERNIZAÇÃO INSTITUCIONAL IDEMA

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO IDEMA

Estivemos recentemente executando um Seminário no Parque das Dunas, administrado pelo IDEMA, sob a liderança de Meire Sorage. Dentro da programação das atividades do Projeto de Modernização Institucional IDEMA, foi executada a palestra de Motivação para o Planejamento Estratégico com presença dos funcionários e estagiários do Parque. A programação ressalta a importancia da atuação dos recursos humanos para a obtenção de resultados positivos na organização. Novos tempos, novas atitudes e a consciência da participação de todos na busca dos objetivos.

Além da direção do Parque das Dunas registramos também a presença da equipe de promoção do projeto de Modernização através de Núbia, Lisyane e Roberta, cuja atuação é coordenada pelo CEBICT.

O PARQUE DAS DUNAS é considerado hoje uma das melhores opções em termos de lazer e também na prática da caminhada e exercícios saudáveis para todas as idades. Meire Sorage está articulando a execução de um Plano Estratégico específico para o parque com o objetivo de dinamizar o contato com o público alvo através de novos projetos e realizações.

VISITE O PARQUE DAS DUNAS EM NATAL - RN. Veja o site: www.parquedasdunas.rn.gov.br



Escrito por Getulio A Ferreira às 10h09
[] [envie esta mensagem] []



VENCENDO A CRISE

0S 10 MANDAMENTOS DA QUALIDADE COM FOCO NA PRODUTIVIDADE E LUCRATIVIDADE

 

1. SATISFAÇÃO PLENA DOS CLIENTES:

A empresa precisa atender as necessidades e superar expectativas do cliente. A gestão pela qualidade é a ferramenta adequada para este desafio.

2. MODELO DE GESTÃO

É preciso promover participação dos empregados e aprimorar a comunicação interpessoal. A participação fortalece decisões, mobiliza forças e gera o compromisso de todos com os resultados.

3. CONSTÂNCIA DE PROPÓSITOS - Deming


Adote os 14 pontos de Deming para melhorar o gerenciamento e obter resultados consistentes. A Constancia de propósitos é o primeiro ponto e revela o comportamento necessário aos dirigentes da organização.

4. MELHORIA CONTÍNUA - KAISEN


A Melhoria contínua obtida pela experimentação, criatividade e inovação na organização é fator fundamental para empresas públicas e privadas em todo o mundo. O Kaisen (estilo japonês) é obtido pela atividade incessante de melhorias em todos os processos, produtos e serviços através do uso de metodologia científica.

5. APRIMORAMENTO E DESENVOLVIMENTO DOS TALENTOS HUMANOS NA ORGANIZAÇÃO


Desenvolver o espírito de colaboração e a iniciativa daqueles que acreditam no trabalho e a ligação do mesmo com os melhores resultados de produtividade. Como dizia Deming, “é preciso eliminar barreiras impossibilitem o empregado de ter orgulho do seu trabalho”

6. TREINAMENTO E DELEGAÇÃO

O melhor controle é aquele que resulta da responsabilidade atribuída a cada um. Só com os três atributos divinos - onipresença, onisciência e onipotência - seria fácil ao empresário desempenhar a mais importante missão dentro da organização: relacionar-se diretamente com todos os clientes, em todas as situações. A saída é delegar competência.

7. GARANTIA DA QUALIDADE

A base da garantia da qualidade está no planejamento e na sistematização [formalização] de processos. Esta formalização estrutura-se na documentação escrita, que deve ser de fácil acesso, permitindo identificar o caminho percorrido.

8. NÃO-ACEITAÇÃO DE ERROS


O padrão de desempenho desejável na empresa deve ser o de "Zero Defeito". Este princípio deve ser incorporado à maneira de pensar de empregados e dirigentes, na busca da perfeição em suas atividades.

9. GERÊNCIA DE PROCESSOS

A gerência de processos, aliada ao conceito de cadeia cliente-fornecedor, faz cair as barreiras entre as áreas da empresa, elimina feudos e promove integração. A partir do cliente externo, os processos se comunicam: o anterior é o fornecedor, o seguinte, cliente.

10. DISSEMINAÇÃO DE INFORMAÇÕES


A implantação da Qualidade Total tem como pré-requisito transparência no fluxo de informações dentro da empresa. Todos devem entender qual é o negócio, a missão, os grandes propósitos e os planos empresariais.

Fontes: www.apostilhasdaqualidade.com.br e Gestão Pela Qualidade, sem dor de cabeça – Qualitymark Editora

 



Escrito por Getulio A Ferreira às 09h39
[] [envie esta mensagem] []



PENSAR E FAZER A DIFERENÇA

PENSE UM POUQUINHO MAIS...



Escrito por Getulio A Ferreira às 22h49
[] [envie esta mensagem] []



PARA REFLEXÃO

IMAGINE UM MUNDO DE PAZ...

 

Para a reflexão do feriado da Semana Santa 2009, uma lembrança do Beatle, John Lennon. IMAGINE...

Lembrando os bons tempos da Jovem Guarda e dos Beatles através da arte musical de John Lennon.



Escrito por Getulio A Ferreira às 22h40
[] [envie esta mensagem] []



Carta ao meu amigo capixaba Valter José Matielo,

 

 

 

Amigo Matielo, a questão das prefeituras hoje é simplesmente difícil. Acostumaram com os repasses federais e não cuidaram da sua própria competência gerencial. A maioria dos prefeitos são gerencialmente desqualificados para o posto e são egocêntricos, ou seja, só pensam neles. Bons prefeitos são minoria. Quantos seriam, das 5.600 prefeituras em todo o Brasil?

 

A maioria das prefeituras tem índice de capacitação menor que 2 horas por pessoa por ano. É uma tragédia pensar em serviço público de qualidade com esta realidade. As empresas TOP investem acima de 120 horas por empregado, por ano.  A CST-ARCELOR MITTAL investe cerca de 150 horas.

Agora com a queda da arrecadação dos fundos e Royalties a coisa vai ficar ainda mais feia não é mesmo?

 

Muitos irão com o pires na mão a Brasília pedir dinheiro, moratória, etc.... Cadê a competência gerencial? Isto não interessa a este grupo de maus gestores.

E as perdas dentro das prefeituras que não são menores que 40% do custeio? E o monte de gente que incha o serviço público para tão somente fazer campanha política - já pensando em 2012.

 

Pois é amigo, assim será a vida enquanto a ignorância gerencial continuar dando as cartas em nosso país.

 

Encerrando o desabafo: quando ocorreu a crise do petróleo em 1972 (a primeira crise), O Japão reduziu drasticamente a sua produção de aço bruto - de 110 milhões de t. de aço para algo em torno de 90 milhões, em paralelo aumentou em 30% a sua produção de aço com valor agregado. A Kawasaki Steel promoveu grande trabalho técnico e científico para reduzir perdas e também reduzir o consumo de petróleo substituindo por outras fontes de energia. Nesta época intensificaram os treinamentos em Qualidade Total para 100% dos funcionários e também para os serviços de terceiros.

 

Conclusão, enquanto a siderurgia mundial dava prejuízo os 5 grupos siderúrgicos Japoneses deram lucro - dentro daquela CRISE de 72 e algumas outras seguintes.

 

O setor público e as empresas de mentalidade curta, aqui no Brasil, jamais iriam pensar em conhecimento científico e uma gestão eficaz, pois, parece que é mais fácil reclamar e pedir ajuda e benesses federais. Não podemos deixar de considerar que muitas organizações americanas também usavam este artifício, até que Obama deu o grito.

 

Amigo, faça o que vc sempre vem fazendo: trabalhar, trabalhar e trabalhar. Acho que é ainda o melhor caminho.

 

até breve

 

Getulio



Escrito por Getulio A Ferreira às 17h30
[] [envie esta mensagem] []



SER COMPETITIVO

AS DUAS PULGAS

Max Gehringer

enviado ao Blog por Júnior Batista - SEMARH - RN

 

PENSANDO NO KAISEN, (Melhoria Contínua).

 

Muitas empresas caíram e caem na armadilha das mudanças drásticas de coisas que não precisam de alteração, apenas aprimoramento. O que lembra a história de duas pulgas.

Duas pulgas estavam conversando e então uma comentou com a outra:

- Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar. Daí nossa chance de sobrevivência quando somos percebidas pelo cachorro é zero. É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas.

Elas então contrataram uma mosca como consultora, entraram num programa de reengenharia de vôo e saíram voando. Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra: - Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele.

Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam vôo rapidamente. Elas então contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa. Funcionou, mas não resolveu...  A primeira pulga explicou por quê: - Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito. Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez.

E então um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos.... Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha, que lhes perguntou:

- Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica? - Não, reengenharia. Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI.  Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento.

 - E por que é que estão com cara de famintas?  - Isso é temporário. Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você?

- Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia. Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer, e perguntaram à pulguinha: - Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em uma reengenharia? - Quem disse que não? Contratei uma lesma como consultora. - Mas o que as lesmas têm a ver com pulgas. quiseram saber as pulgonas...  - Tudo. Eu tinha o mesmo problema que vocês duas. Mas, em vez de dizer para a lesma o que eu queria, deixei que ela avaliasse a situação e me sugerisse a melhor solução. E ela passou três dias ali, quietinha, só observando o cachorro e então ela me disse: "Não mude nada. Apenas sente na nuca do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança".

MORAL DA HISTÓRIA

*Você não precisa de uma reengenharia radical para ser mais eficiente. Muitas vezes, a GRANDE MUDANÇA é uma simples questão de reposicionamento.*



Escrito por Getulio A Ferreira às 17h09
[] [envie esta mensagem] []



SEMINÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA SEARH

Neste início do mês de Fevereiro 09, foi realizado sob a liderança do Secretário SEARH - Dr. Paulo César e Dr, Marcos Lael, Secretário Adjunto, o SEMINÁRIO DE GESTÃO ESTRATÉGICA que teve como objetivo o reposicionamento da secretaria frente aos elementos fundamentais do seu plano para 2009 e 2010. Os trabalhos contaram com a coordenação CEBICT e participação ativa da estrutura da SEARH na formulação de sugestões da nova MISSÃO, VISÃO E POLÍTICA DE GESTÃO. Na abertura, Dr. Paulo César salientou a necessidade de uma nova postura dos seres humanos da secretaria frente aos desafios que ora enfrentamos e a necessidade de uma atuação coordenada, eficaz e centrada nas prioridades que irão impactar positivamente no servidor estadual e por conseguinte na popolução.

Dr. Marcos Lael comentou detalhadamente todos os projetos que estão sendo acompanhados, suas particularidades e importancia e teve tambem a colaboração da Sra. Aline, do SEBRAE-RN que apresentou a metodologia do GEOR - Gestão Estratégica Orientada para Resultados no contexto da SEARH.

Getulio Apolinário do CEBICT apresentou palestra sobre o tema GESTÃO ESTRATÉTICA enfocando a questão das mudanças que estão ocorrendo no mundo atual e também as nossas responsabildades em termos da Gestão e sua eficácia e efetividade.

Os coordenadores dos projetos apresentaram a situação atual dos projetos prioritários e suas recomendações em termos de desempenhos futuros.

O seminário foi encerrado pelo Sr. secretário convidando sua equipe para o enfrentamento dos desafios, concentrando-se nas capacidades e inteligencia de todo o pessoal envolvido.

Teremos novas etapas referentes a validação da nova missão e uma grande palestra para todo o público SEARH.



Escrito por Getulio A Ferreira às 10h57
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


Histórico
Categorias
Todas as mensagens
Link
Evento
Citação
Avaliação


Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
UOL - O melhor conteúdo
BOL - E-mail grátis